Caminhos e Parcerias

 

Nesta caminhada ciclística tenho alertado aos colegas da importância de nos mantermos atentos aos desafios cotidianos de pedalar. Além de pensar sobre sua saúde, os cuidados com o corpo e o estado de conservação da bicicleta, precisamos observar o ambiente para conseguir maior segurança.

Sempre observamos aumento significativo do fluxo de veículos em períodos de feriado prolongado, o que torna nossas estradas mais perigosas, além do perigo existente ao utilizarmos as rodovias sem acostamento e as ruas da cidade sem ciclofaixa ou ciclovia.

Para fugir deste perigo optamos pelo fora de estrada, as trilhas e variantes de terra em nossa extensa zona rural. Porém, temos agora outro agravante: os roubos que acontecem nesta região, também atingem os ciclistas. Praticamente encurralados: se correr o bicho pega e ficar ele… O que fazer então?

Indiscutivelmente os caminhos para solução não são individuais, perpassam por organização, associações e mobilização de grupos e pessoas em torno de melhores estruturas para o esporte, lazer e qualidade de vida. Vou deixar duas alternativas extremamente importantes para que possamos diminuir o risco à saúde e integridade físicas dos ciclistas da região:

A primeira alternativa é observar que as eleições estão acontecendo e a União dos Ciclistas do Brasil (UCB), a cada pleito, elabora uma campanha para que possamos influenciar políticos e políticas públicas para o fomento ao ciclismo. Participe, questione seu candidato ou procure os que possuem propostas que atendam nossas necessidades de uso da bike. Deixo ao final o link do projeto Bike nos Planos, elaborado pela rede Bike Anjo com intuito de contribuir com a construção dos planos municipais de mobilidade urbana.

A segundo alternativa é a parceria. Em nível local é preciso participar das organizações de ciclistas locais, dos eventos que divulgam o ciclismo e a importância do uso da bicicleta. Precisamos de mobilização dos ciclistas, inclusão dos que não estão nos grupos e a integração das diferentes modalidades na busca por soluções. Soluções necessáriamente coletivas e com participação de todos.

Convido aos que me ouvem para fortalecer as associações de ciclista e lutar por melhores condições para o esporte, lazer e transporte.

“Não é possível construir estruturas para o Ciclismo, sem união e integração” .

Tarcísio Botelho é ciclista karniça e Bike Anjo

https://www.facebook.com/bikeanjovalenca/

http://bicicletanosplanos.org/


Comente