Estamos prestes a vivenciar o V Cicloturismo de Valença, ou trilha do Camarão, que acontecerá no dia 18 de Novembro, no distrito de Guaibim. Para este evento são esperados ciclistas de todo o Estado e principalmente de regiões mais próximas como o baixo sul, Nazaré, Santo Antônio, Lage, Amargosa dentre outros. Estas cidades tiveram seus eventos de cicloturismo este ano, mas o diferencial do “pedal” de Valença é o trecho de praia, em que os participantes deverão passar pela areia, aproveitando o visual do mar enquanto queimam calorias no passeio.

Em meio a este evento e lembrando que o Pedalage, que no ano anterior era chamado de trilha, este ano se auto intitulou Cicloturismo, uma questão me surgiu: o que é cicloturismo, trilha e que difere de outros eventos? Não que eu me preocupe muito com a precisão de conceitos no ciclismo, mas as pessoas que viajam de bicicleta publicam suas aventuras chamando de cicloturismo, ou seja, o que é que?

A revista bicicleta, em um texto específico, diz que o cicloturismo são viagens longas utilizando a bicicleta e outros textos a ideia e fazer turismo utilizando a bicicleta. Em geral, nas fontes consultadas, a bicicleta é o meio utilizado para viajar, com aquelas malas e bagageiros enormes. Inclusive a revista bicicleta chama as viagens de Bike em trechos curtos de passeios ciclísticos, como são os cicloturismos de nossa região com 30 km, em média.

Poderíamos então chamar nossos eventos de passeios ciclísticos, pois são curtos e a bicicleta não é o meio utilizado para se deslocar entre as cidades. Ah, mas alguns diriam que muitos vão de bike para os eventos!! Mas daria seria o suficiente já que ir “no giro” com os pertences em veículos e sem objetivo de fazer turismo no caminho para chamar cicloturismo?

Pode ser questionável, devido às características, os que viajam de bike por longas distâncias, as vezes por anos estão mais próximos de cicloturismo. E você o que acha, podemos chamar os próximos eventos de passeios ciclísticos?

Tarcísio Botelho é ciclista karniça e Bike Anjo

https://www.facebook.com/bikeanjovalenca/


O Quinto Cicloturismo em Valença, na praia do Guaibim, está cada vez mais próximo de acontecer. Faltam 26 dias para o início da Trilha do Camarão!

Para os pedaleiros da Bahia, fica a expectativa de a grande festa chegue logo. Para  deixar a galera mais animada olha só a bike que será sorteada no dia do evento.  Pensando nisto por que não comprar a camisa alusiva ao evento e um ou uns bilhetes para levar este valioso prêmio para a sua casa.

Para participar, basta adquirir a camisa do evento antecipadamente R$ 50,00 ou comprar o cupom por R$ 10,00 no dia do evento.

Uma realização Valença Bike!

*PROGRAMAÇÃO TRILHA DO CAMARÃO*
– Sábado a noite recepção na Praia do Guaibim, na Barraca de Jivanete a partir das 20horas com som ao vivo
– Domingo, café da manhã a partir das 06:30h na Barraca de Jivanete no Taquari
– Início da Trilha as 08 horas sem atraso por motivo de horário da maré
– Trilha de nível Leve a médio de 30 km, sem ladeiras porém com um trecho de areia
– Teremos no total 4 pontos de hidratação, com motos, carro de apoio e ambulância
– No meio da trilha haverá um ponto de apoio com som ao vivo
– Finalização na Barraca de Jivanete com som ao vivo e sorteio de brindes

*RECOMENDAÇÕES*

– Usar protetor solar
– Usar calças (trechos com tiririca)
– Hidratar nunca é pouco, época de verão na praia, muito calor
– Pode trazer a família, pois a praia é muito agradável
– Cuidado ao entrar na Praia, com o mar não se brinca

Fonte: Valença Bike


 

 

Esta é frase comum na boca da galera, principalmente do Pedal, seja para você acompanhar os organizadores de eventos e grupos ou simplesmente para acompanhar um pelotão!
Mas para seguir o líder, ele precisa ser considerado como tal. Este status é algo que se conquista, não é lhe é dado ou transferido. Como se diz no jargão da administração são pessoas que lidam com maestria em relações interpessoais, valorizando o potencial de cada um para uma causa.

Para mim, inclui o desafio de deixar um legado para sua área, em nosso caso o ciclismo.

E ao falar em legado precisamos registrar os que servem de referência para a grande gama de ciclistas deste pais, algo que cresce em ritmo exponencial. Falemos primeiro de uma grande surpresa para o ciclismo de estrada que é Remco Evenepoel, jovem belga que vem ganhando tudo em sua categoria, sendo considerado por muitos como sucessor dos grandes campeões do passado.

Girando a incríveis 50km/h de média ele de deu ao luxo de chegar com folga depois de cair e perder 2 min em relação aos pelotão principal. Guarde esse nome, pois ele tem 18 anos e deve sair das categorias de base direto para o profissional com muito tempo ainda para se aperfeiçoar.

 

Em seguida precisamos registrar aqui o fenômeno nacional Henrique Avancini nas provas internacionais de Montain Bike. Se precisávamos de referência, apesar da falta de incentivo ao esporte em nosso país, agora nós temos em quem nos espelhar. Como aconteceu com Guga no tênis eu espero que avancini sirva de exemplo e impulsionador para o esporte, após ganhar duas provas de alto nível internacional. Ele mesmo disse em recente entrevista que gostaria que estas medalhas e conquistas venham impulsionar os ciclistas brasileiros de todas as categorias!

Deixo somente uma ressalva, assinando em baixo do que disse Samuca Zerref, que a vitória é do Avancini e não do Brasil, pois não houve incentivo nenhum do país ao campeão, foram conquistas na raça e com o patrocínio da Cannondale.  Precisamos de estrutura para o ciclismo nas ruas e nas competições. Siga a gente!

Tarcísio Botelho é ciclista karniça e Bike Anjo
https://www.facebook.com/bikea


Olivaldo(Diretor de esportes), Tarcisio (Bike Anjo) e Ademilton (Secretário de Esportes).

 

Se você acredita que o ciclismo pode crescer mais ou que poderíamos utilizar a bicicleta como meio de transporte, você precisa conhecer ou até participar do Bike Anjo Valença – Bahia!

Esta semana o contador de ciclistas da avenida Faria Lima em São Paulo atingiu a marca de um milhão de viagens de bicicleta  e em apenas 09 meses!! Desde que foi instalado em 2016 nunca se viu tantas viagens de bicicleta em nossa gigantesca metrópole.

Pense o seguinte: São Paulo é a maior cidade da América latina, ou seja, o que acontece lá serve de referência para toda a América e nessa avenida são mais de 7.000 viagens por dia! “A bicicleta como meio de transporte” é uma realidade que cresce vertiginosamente e veio para ficar!

Para ampliar o numero de usuários e fortalecer redes que apoiam o uso da bicicleta surgiu em 2010 o Bike Anjo, organização que tem como proposta a difusão do uso da bike  como meio de transformação social. Para você ter uma dimensão deste trabalho, segue alguns números: estamos presentes em 33 países com quase 7 mil voluntários e presente em 700 cidades, inclusive Salvador e Porto Seguro. Agora esta rede chegou ao Baixo Sul da Bahia e começará em nossa cidade!

Ensinar a pedalar é algo indescritível que gera grande emoção tanto em quem aprende quanto em quem ensina. A alegria de quem aprende é comparável ao aprender a ler e escrever! Além disso, muitos que sabem ainda têm receio de sair pedalando pelas nossas perigosas ruas e estradas e podemos orientá-los para girar com mais segurança.

Que tal fazer parte desse movimento e nos ajudar? O projeto hoje conta com várias pessoas dispostas a somar, inclusive empresários locais que nos apoiaram para a aquisição de bicicletas. Este é outro assunto em que você pode também ajudar: tem uma bicicleta que não usa e quer doar? Faça contato conosco na página do Facebook!!

A imagem que selecionamos foi a ratificação do apoio ao projeto da Escola Bike Anjo (EBA) pela secretaria de esportes do município de Valença mostrando que a rede está se consolidando e agora partiremos para a próxima etapa que é formação de voluntários.

Venha fazer parte desta rede e ajudar a construir um planeta mais saudável! Entre em nossa página e deixe seu contato, ou procure o Karniça bike nos grupos de ciclismo da cidade!

Tarcísio Botelho e Mônica Pereira são ciclistas karniça e Bike Anjo

https://www.facebook.com/bikeanjovalenca/


 

Nesta caminhada ciclística tenho alertado aos colegas da importância de nos mantermos atentos aos desafios cotidianos de pedalar. Além de pensar sobre sua saúde, os cuidados com o corpo e o estado de conservação da bicicleta, precisamos observar o ambiente para conseguir maior segurança.

Sempre observamos aumento significativo do fluxo de veículos em períodos de feriado prolongado, o que torna nossas estradas mais perigosas, além do perigo existente ao utilizarmos as rodovias sem acostamento e as ruas da cidade sem ciclofaixa ou ciclovia.

Para fugir deste perigo optamos pelo fora de estrada, as trilhas e variantes de terra em nossa extensa zona rural. Porém, temos agora outro agravante: os roubos que acontecem nesta região, também atingem os ciclistas. Praticamente encurralados: se correr o bicho pega e ficar ele… O que fazer então?

Indiscutivelmente os caminhos para solução não são individuais, perpassam por organização, associações e mobilização de grupos e pessoas em torno de melhores estruturas para o esporte, lazer e qualidade de vida. Vou deixar duas alternativas extremamente importantes para que possamos diminuir o risco à saúde e integridade físicas dos ciclistas da região:

A primeira alternativa é observar que as eleições estão acontecendo e a União dos Ciclistas do Brasil (UCB), a cada pleito, elabora uma campanha para que possamos influenciar políticos e políticas públicas para o fomento ao ciclismo. Participe, questione seu candidato ou procure os que possuem propostas que atendam nossas necessidades de uso da bike. Deixo ao final o link do projeto Bike nos Planos, elaborado pela rede Bike Anjo com intuito de contribuir com a construção dos planos municipais de mobilidade urbana.

A segundo alternativa é a parceria. Em nível local é preciso participar das organizações de ciclistas locais, dos eventos que divulgam o ciclismo e a importância do uso da bicicleta. Precisamos de mobilização dos ciclistas, inclusão dos que não estão nos grupos e a integração das diferentes modalidades na busca por soluções. Soluções necessáriamente coletivas e com participação de todos.

Convido aos que me ouvem para fortalecer as associações de ciclista e lutar por melhores condições para o esporte, lazer e transporte.

“Não é possível construir estruturas para o Ciclismo, sem união e integração” .

Tarcísio Botelho é ciclista karniça e Bike Anjo

https://www.facebook.com/bikeanjovalenca/

http://bicicletanosplanos.org/


*PROGRAMAÇÃO TRILHA DO CAMARÃO*
– Sábado a noite recepção na Praia do Guaibim, na Barraca de Jivanete a partir das 20horas com som ao vivo
– Domingo, café da manhã a partir das 06:30h na Barraca de Jivanete no Taquari
– Início da Trilha as 08 horas sem atraso por motivo de horário da maré
– Trilha de nível Leve a médio de 30 km, sem ladeiras porém com um trecho de areia
– Teremos no total 4 pontos de hidratação, com motos, carro de apoio e ambulância
– No meio da trilha haverá um ponto de apoio com som ao vivo
– Finalização na Barraca de Jivanete com som ao vivo e sorteio de brindes

*RECOMENDAÇÕES*

– Usar protetor solar
– Usar calças (trechos com tiririca)
– Hidratar nunca é pouco, época de verão na praia, muito calor
– Pode trazer a família, pois a praia é muito agradável
– Cuidado ao entrar na Praia, com o mar não se brinca