Tendo entrado para a história por colocar o Brasil pela primeira vez na final da patinação artística individual dos Jogos Olímpicos de Inverno, Isadora Williams não conseguiu, nesta sexta-feira (23), repetir a boa apresentação da última quarta-feira. Ela sofreu uma queda e terminou a decisão em último lugar. A competição foi vencida pela russa Alina Zagitova, de 15 anos, que ficou com o ouro em PyeongChang.

A brasileira caiu no início da sua apresentação, ficando com 88,44 pontos no programa longo (144,18) no total, terminando sua participação na Coreia do Sul na 24ª posição.

Isadora, de 22 anos, filha de mãe brasileira e pai americano, nasceu nos Estados Unidos, mas representa o Brasil em torneios internacionais desde 2010. Após a prova, ela foi comunicada que será a porta-bandeira do país na cerimônia de encerramento, repetindo Sochi-2014.

A campeã Alina Zagitova fez hoje 156,65 pontos, ficando no total com 239,57. A medalha de prata ficou com sua compatriota Evgenia Medvedeva e o bronze foi para Kaetlyn Osmond, do Canadá.

Fonte: Galáticos.

Foto: Lucy Nicholson/Reuters


neymar-bolt

O Brasil bateu a Alemanha no Maracanã e conquistou o tão sonhado ouro olímpico, após empatar por 1 a 1 no tempo normal mais prorrogação.

A equipe comandada por Rogério Micale abriu o placar com um golaço de Neymar de falta ainda no primeiro tempo, mas acabou sofrendo o empate logo no início da etapa final.

Os alemães conseguiram segurar o empate apesar da pressão brasileira, mas nas cobranças de pênaltis Peterson perdeu para a Alemanha, enquanto o Brasil marcou todos os cinco gols. Na ultima cobrança, a estrela maior do time pentacampeão na atualidade, Neymar, colocou no ângulo e deu fim ao tabu da seleção canarinho em olimpíadas.


Brazil's Erlon De Souza Silva and Brazil's Isaquias Queiroz Dos Santos celebrate after the Men's Canoe Double (C2) 1000m final at the Lagoa Stadium during the Rio 2016 Olympic Games in Rio de Janeiro on August 20, 2016. / AFP PHOTO / Damien MEYER

Mais uma vez, Isaquias Queiroz anotou seu nome na história do esporte olímpico brasileiro. Na manhã deste sábado – penúltimo dia de Jogos Olímpicos – o baiano de Ubaitaba conquistou mais uma prata na canoagem velocidade e chegou a três medalhas em uma única edição das Olimpíadas, sendo o primeiro brasileiro a conseguir tal fato.

Os alemães cruzaram a linha de chegada com tempo de 3min43s912. Isaquias e Erlon vieram forte, cravando 3min44s819. A dupla russa Ilia Shtokalov e Ilya Pervukhin chegou a liderara a prova com uma arrancada espetacular na parcial final, mas perderam força e terminaram na quinta colocação.

O jovem de 22 anos agora ultrapassa nomes como Gustavo Borges (prata e bronze em Atlanta 1996) e Cesar Cielo (ouro e bronze em Pequim 2008), da natação, e Guilherme Paraense (ouro e bronze) e Afrânio da Costa (prata e bronze), ambos nos Jogos da Antuérpia 1920.

Isaquias é um dos principais nomes do esporte atualmente, já tendo sido três vezes campeão mundial – no C1 500m em 2013 e 2014 e no C2 1.000m em 2015. O canoísta também foi campeão nos 1.000m e 200m do C1 no Pan-Americano de Toronto 2015.

As três medalhas conquistadas – prata no C1 e C2 1.000m e bronze no C1 200m – também foram as primeiras do Brasil na história da canoagem olímpica. Com a prata da dupla e as duas medalhas garantidas no vôlei de quadra masculino e no futebol masculino, o Brasil já garante 18 no quadro geral e conquista sua melhor participação em Olimpíadas, ultrapassando as 17 de Londres 2012.

 


000_F99IZ

 A cada participação de Usain Bolt nas Olimpíadas, novos feitos são alcançados. Nesta quinta-feira, o jamaicano superou a chuva que caiu no Engenhão e se tornou o primeiro tricampeão olímpico dos 200m rasos, com 19s78. Embora buscasse recordes, ele não conseguiu atingir as marcas que estabeleceu como recordes mundiais e olímpicos. O canadense Andre De Grasse ficou com a prata (20s02), enquanto o francês Christophe Lemaitre levou o bronze (20s12).


632555-970x600-1

As sargentos Ágatha e Bárbara integram o Programa Olímpico da Marinha, no qual atletas com potencial recebem apoio e podem utilizar a estrutura da Marinha como centro de treinamento.

A dupla começou a parceria no meio da temporada 2011 e, atualmente, é a dupla atuando há mais tempo no circuito brasileiro. Há quase cinco anos juntas, a dupla não conseguiu o ouro olímpico que só Jaqueline e Sandra Pires conquistaram para o Brasil, há duas décadas.

Nesta quarta-feira (17), as brasileiras perderam para as alemãs Laura Ludwig, 30, e Kira Walkenhorst, 25, por 2 a 0 (21/18;21/14).


1623110

A seleção masculina de vôlei foi empurrada para a vitória nesta quarta (17), no Maracanãzinho.

Os 3 sets a 1 sobre os rivais sul-americanos (parciais de 25/22, 17/25 e 25/19 e 25/23) classificaram a equipe comandada por Bernardinho para a quarta semifinal seguida em Olimpíadas.

Nas últimas três edições dos Jogos, o Brasil conquistou um ouro (2004) e duas pratas (2008 e 2012).

Nesta semifinal no Rio, a seleção vai encarar justamente sua algoz da decisão de Londres, há quatro anos, a Rússia, que derrotou o Canadá por 3 a 0, nesta quarta.

A outra semifinal será entre EUA e Itália.

Contra os russos em Jogos Olímpicos, o Brasil tem cinco vitórias e quatro derrotas.

Diante dos argentinos, o confronto estava empatado em três a três até esta noite.

O último encontro, porém, havia sido traumático para os brasileiros. Em Sydney-2000, a Argentina eliminou o Brasil justamente nas quartas de final dos Jogos, com um 3 a 1.


 

632501-600x600-1

Os 200 m é a prova que Usain Bolt sempre gostou de correr.

Ele avançou com facilidade para a decisão, assim como os rivais Lashawn Merritt e o canadense Andre De Grasse (bronze nos 100 m0). Prata nos 100 m, o americano Justin Gatlin teve o 9° tempo e ficou fora da final. Yohan Blake também ficou fora.

Marcou 19s78 em sua bateria, e passou a linha de chegada sorrindo ao lado de De Grassem que foi no embalo e também deu risada o olhando para o ídolo ao seu lado ao terminar a corrida.