ale

A Alemanha será o último obstáculo da Seleção Brasileira para a conquista do único grande título do esporte que falta ao país pentacampeão do mundo.

A Alemanha venceu  a Nigéria na tarde desta quarta-feira (17), por 2 a 0, na Arena Corinthians, e encara o Brasil na disputa pela  medalha de ouro, em confronto que acontece no sábado (20), no Maracanã.

Os gols alemães foram marcados por Klostermann e  Petersen, que irão tentarepetir o feito do seu país no último mundial, quando a Alemanha desbancou o Brasil em solo canarinho e conquistou o título, ao bater a Argentina na final.


trio(1)

A Seleção Brasileira atropelou Honduras no Maracanã, com direito a Neymar fazendo gol mais rápido da história dos jogos, com apenas 15 segundos de bola rolando.

Neymar marcou duas vezes, completados por Gabriel Jesus, duas vezes, seguido por Marquinhos e Luan.

O adversário do Brasil sai ainda nesta quarta, quando Nigéria e Alemanha decidem no Mineirão quem encara os donos da festa em final agendada para acontecer no Maracanã, no sábado (20).


000_F15W2-1024x682

A Bahia brilhou mais um a vez nos Jogos Olímpicos. Após Isaquias Queiroz conquistar a prata pela manhã, na canoagem, na noite desta terça-feira (16) foi a vez do baiano Robson Conceição fazer história no boxe.

O soteropolitano da Boa Vista de São Caetano foi soberano, dominou o francês Sofiane Oumiha e sagrou-se campeão olímpico da categoria peso ligeiro, 60kg. Com o feito, Conceição se tornou o primeiro atleta brasileiro a conquistar uma medalha de ouro em Olimpíadas no boxe.

“Sou campeão hoje! Primeiro pugilista campeão olímpico da história do Brasil!”, disse em entrevista ao SporTV.

Robson Conceição retorna a Salvador na manhã da próxima quinta-feira (18) e, ao desembarcar no aeroporto da Capital desfilará em carro do Corpo de Bombeiros pela cidade.


20160816001651370481e

O atletismo enfim voltou a conquistar uma medalha para o Brasil. E não foi qualquer medalha. Na noite desta segunda-feira, Thiago Braz surpreendeu os favoritos e conquistou o ouro na disputa do salto com vara, no Engenhão. O brasileiro saltou 6,03 metros e, além de obter a melhor marca de sua carreira, cravou o novo recorde olímpico, transformando o estádio no palco da primeira grande conquista do atletismo nos últimos oito anos.

A última medalha do Brasil no atletismo havia sido o ouro de Maurren Maggi, no salto em distância nos Jogos de Pequim-2008. “É campeão”, gritavam os torcedores no Engenhão. Emocionado, o brasileiro desfilou com a bandeira brasileira.


20160815154057813435oArthur Zanetti se disse satisfeito ao ficar com a medalha de prata nesta segunda-feira. Superado pelo grego Eleftherios Petrounias, o brasileiro campeão nas argolas em Londres 2012 afirmou ter gostado do seu desempenho na grande final e revelou que sairia da Arena Olímpica do Rio sorrindo mesmo se não tivesse conquistado um lugar no pódio.

“Muita gente toda vez que olhava na rua dizia para eu trazer o ouro. Ninguém sabe o que passei para estar aqui na competição, fiz meu trabalho, gostei da minha prova e veio a prata. Vou ficar sorrindo o resto do ano mesmo se não tivesse trazido uma medalha”, disse.

Zanetti foi o último a entrar em ação na final. Tendo de conviver com a ansiedade de fazer sua prova, o brasileiro comentou que não sabia a nota do rival grego até a divulgação do resultado final, quando descobriu que havia ficado com a prata.


OKIMOTO

A nadadora brasileira, Poliana Okimoto, 33 anos, conquistou a medalha de bronze na maratona aquática nesta segunda-feira (15). Ela havia terminado a prova de 10 km em quarto lugar, mas contou com a desclassificação da francesa Aurelie Muller para subir ao pódio. Muller fez uma manobra irregular na disputa pela medalha de prata ao se apoiar na italiana Rachele Bruni, que herdou o segundo lugar. Já a baiana Ana Marcela Cunha, terminou na 11ª colocação, e ficou em décimo com a eliminação.

“Foram oito anos lutando para ir bem em casa. Entrei como uma das favoritas. Não foi um resultado digno de uma três vezes campeã de uma Copa do Mundo, não sei quantas vezes pódio em Mundial. Estou triste pela minha colocação”, disse Ana Marcela, aos prantos, após a prova.

A medalha de ouro ficou com a holandesa Sharon van Rouwendaal, que liderou boa parte da prova. A prata foi para a italiana Rachele Bruni.


16227687

Neste domingo (14), o jamaicano ascendeu a um padrão atingido apenas por si.

Com um tempo de 9s81, Bolt conquistou a medalha de ouro nos 100 m no Estádio Olímpico e se tornou o primeiro na história a vencer três vezes a prova mais nobre de todos os Jogos Olímpicos.

Ele triunfou Pequim-2008, Londres-2012 e agora, no Rio. Bolt também detém o recorde mundial da prova, de 9s58, registrado em 2009, em Berlim.