EX ZAGUEIRO DO BAHIA REÚNE BOLEIROS CONTRA O CORONAVÍRUS

 

Desde a paralisação dos campeonatos por causa da pandemia do coronavírus, jogadores de futebol buscam maneiras de se entreter na quarentena. Uma das distrações mais comuns vista nos últimos dias foi a participação em desafios nas redes sociais, como vídeos de embaixadinhas com rolos de papel higiênico e fotos de lances marcantes em campo.

O avanço da Covid-19 no Brasil, porém, mobilizou mais de cem jogadores ao apoio de uma causa solidária em forma de desafio: a missão é doar uma camisa de jogo autografada a um site que fará venda online. Todo o dinheiro arrecadado, tirando custos de envio, será revertido ao Instituto da Criança — este, por sua vez, fará a compra de respiradores, luvas e máscaras para ajudar equipes médicas no combate à doença.

Mais de cem jogadores já participaram, inclusive nomes como Daniel Alves (São Paulo), Dudu (Palmeiras), Everton (Grêmio), Rodrigo Caio (Flamengo), Gabriel Jesus (Manchester City) e o goleiro Alisson (Liverpool), além de ex-jogadores como Denílson, Kaká e Marcos e influenciadores como Fred e Raquel Freestyle. Por isso, muitos fãs de futebol já foram impactados pela campanha na internet. O que poucos sabem é que ela começou de forma tímida com o zagueiro Danny Morais, do Santa Cruz.

Danny Morais fez contato com o relações públicas Guilherme Alf, que conhecia de outras ações no Sul: “Desde a minha ligação foi uma semana até o lançamento do projeto.” A dupla mobilizou empresários, assessores de imprensa e rede de contatos no futebol para chegar aos jogadores e ex-jogadores, que doaram suas camisas para a campanha.

Há itens à venda de R$ 800 até R$ 10 mil. Isso além de um setor para doações livres, de outros valores, sem recompensa. Os principais rostos da campanha são Denílson, comentarista da Band, e o goleiro Alisson. Não à toa, donos das camisas mais caras da plataforma, da seleção brasileira e do Liverpool. Alisson, aliás, é embaixador da Organização Mundial da Saúde (OMS), e Denílson promete engajar personalidades da música e de outros segmentos no desafio.


Comente